Serviço de Apoio (Seg-Sex) 09:00 -21:00
213 191 520

Serviço de Apoio (Sab)
213 191 520

Emergências no destino - 24h
308 811 306
TUI DE

O segredo dos canais de Amesterdão

Canal Keizersgracht iluminado
Canal Singel
Vista aérea dos canais

Amesterdão, por causa dos seus canais, é conhecida como a Veneza do Norte. Os canais são o símbolo da cidade e também o seu desafio principal.
A origem da rede de canais de Amesterdão remonta ao séc. XVII, em pleno Século de Ouro, quando a Holanda era uma potência comercial. Estes canais em anel foram construídos no âmbito do projeto de uma cidade-porto, permitindo ao centro urbano conquistar terreno à água. Desde então Amesterdão trava uma batalha diária contra a água, para sustentar essa convivência que a transformou na cidade que é hoje. Em 2010, A UNESCO catalogou esta rede de canais como património cultural, pois representam, para a época em que foram construídos, um verdadeiro exemplo de “planificação urbanística em larga escala”. Como se afirma no documento da UNESCO: “Tiveram de drenar os pântanos com canais traçados em arcos concêntricos e terraplanar os intervalos entre eles”. A construção começou na zona oeste da cidade. Os problemas surgiram na zona leste, com trechos onde foi muito mais complicado drenar a água. Os primeiros anéis (Prinsengracht, Keizersgracht, Herengracht) foram criados para edificar a cidade (vivendas, ruas e comércios), embora o maior deles, o canal Singel, tenha sido construído com objetivos defensivos. Só para construir este último canal foi necessário meio século de trabalho. Na construção dos edifícios usavam-se estacas enormes de madeira que se cravavam no fundo, em modo de alicerces. Foram utilizadas mais de 10 milhões de estacas que ali continuam, quatro séculos depois.

Numa vista panorâmica aérea, o centro de Amesterdão é uma sucessão de anéis geométricos, dispostos em semicírculos concêntricos. Um aspeto quase labiríntico que dificulta a orientação na cidade. Outras cidades holandesas (Delft, por exemplo) e de países vizinhos também possuem um sistema de canais, mas poucos são tão perfeitos como os de Amesterdão. No total, a cidade tem 165 canais e a água representa 25% da superfície urbana, com um pouco mais de 100 Km de vias navegáveis. Na parte nova da cidade continua-se a construir de acordo com este sistema de canais.

Para manter a drenagem em perfeitas condições e evitar problemas de cheiros e salubridade, a cidade conta com um sistema de esgotos que, claro, não existia no séc. XVII. Até há poucos anos, para limpar os canais bombeava-se a água quase diariamente. Como? Os canais fechavam-se de noite, graças a um sistema de eclusas que os isolava do rio, para se encherem com água nova a partir do lago Ijselmeer (criado com esta finalidade). Hoje, a água dos canais de Amesterdão é permanentemente monitorizada com o objetivo de vigiar a sua qualidade. Enfim, livre de contaminações mas não de bicicletas, uma vez que todos os anos afundam-se nas águas dos canais milhares delas. Sem exageros.

Viver flutuando

Calcula-se que nos canais de Amesterdão existam cerca de 2500 casas-barco. Este tipo de casas, que alguns poderiam considerar hippies, são um luxo e possuem todas as comodidades de uma casa tradicional. O preço destas casas flutuantes transformou-as num “capricho” ao alcance de poucos. Conscientes deste grande potencial, muitos proprietários transformaram as suas casas em pequenos hotéis ou bed&breakfast que alugam a turistas.

Atravessando os canais

Para atravessar os 165 canais são necessárias muitas pontes. Nada mais, nada menos, do que mais de 1200. As pontes mais antigas têm grande protagonismo na configuração desta cidade, que começou a crescer no séc. XVII. A ponte mais antiga é a Torensluis, que ainda hoje se mantém tal como foi construída em 1648 e continua a ser a mais larga da cidade. Por seu turno, uma das mais estreitas é a Magere Brug, cujo nome significa precisamente “ponte magra”. Isto apesar desta ponte já não ser tão “magra” como quando foi construída. A original era ainda mais estreita.

Top 5 Hotéis

Países Baixos, Amesterdão e arredores, Amesterdão

Twenty Eight

18 Julho 2019, 2 noites, 2 Pessoas, Só Alojamento
Países Baixos, Amesterdão e arredores, Amesterdão

Hotel V Fizeaustraat

18 Julho 2019, 2 noites, 2 Pessoas, Pequeno-almoço
Países Baixos, Amesterdão e arredores, Amesterdão

Sir Adam

18 Julho 2019, 2 noites, 2 Pessoas, Só Alojamento
Países Baixos, Amesterdão e arredores, Amesterdão

Conservatorium Amsterdam Hotel

18 Julho 2019, 2 noites, 2 Pessoas, Só Alojamento
Países Baixos, Amesterdão e arredores, Amesterdão

Van der Valk Hotel Amsterdam - Amstel

18 Julho 2019, 2 noites, 2 Pessoas, Só Alojamento