Apoio ao Cliente 08:00 -20:00 (Segunda - Sexta)
213 191 520

Apoio ao Cliente 09:00 -15:00 (Sábado)
213 191 520

TUI DE

Varsóvia, a cidade ajardinada

Jardim no telhado da Biblioteca da Universidade de Varsóvia
Parque Nacional de Kampinos
Parque Lazienki, Palácio da Ilha
Fonte do Jardim Sajón, à noite
Estátua no Parque Wilanow

struvictory / Shutterstock.com marekusz / Shutterstock.com

As antigas residências reais polacas, como as europeias dos séculos XVII, XVIII e XIX, estavam rodeadas por grandes áreas verdes. Em Varsóvia, estas áreas representam um quarto do território da cidade.
Os antigos palácios da realeza não tinham apenas salões de festas e galerias. Também se caracterizam pelos seus amplos e belos jardins. Na capital polaca, os parques de Lazienki, Wilanow e o Jardim Sajón foram criados para satisfazer o gosto dos monarcas e da corte pelos espaços verdes. Hoje, esses lugares estão disponíveis para a utilização e usufruto público.

O Parque Real Lazienki é o maior da cidade. A sua área ultrapassa os 80 hectares, divididos em duas zonas: uma arborizada com passeios e uma outra ajardinada. Na primeira, encontra-se o Palácio da Ilha junto ao lago artificial, pelo qual se pode navegar de gôndola, e à estátua de Frédérik Chopin, diante da qual, no verão, se organizam concertos de música clássica. Na segunda, está o Jardim Botânico da Universidade de Varsóvia, com dez mil espécies de plantas silvestres e de cultivo, algumas em perigo de extinção. Originalmente, em 1678, este parque serviu para o cultivo de verduras e plantas medicinais, mas pouco a pouco foi recebendo espécies estrangeiras e nacionais até alcançar a ambiciosa coleção que hoje possui.

Outro pomar histórico é o Parque de Wilanow, anexo ao Palácio com o mesmo nome, residência de verão do rei João III Sobieski. Este palácio é conhecido como o “Versalhes Polaco” pela sua dimensão e pelo design barroco. Nos seus 45 hectares, dispõem-se jardins de vários estilos. Na primeira linha, encontra-se um jardim barroco com dois níveis que fazem as vezes de esplanada para o rio Vistula. Na ala sul, está um jardim de rosas inspirado no Renascimento italiano com espécies trepadeiras e de chão, entre as quais se destacam a Excelsa e a Margo Koster, com pétalas de cor salmão. O jardim paisagístico inglês foi uma oferta de Stanisław Kostka Potocki, um nobre do século XVIII, e da sua mulher, uma vez que era moda naquela época. Finalmente, o jardim sino-inglês, concebido por Szymon Bogumił Zug, com árvores exóticas como 'ginkgos', 'katsuras' e catalpas. O parque tem o seu próprio microclima graças ao lago, regatos e lago artificial.

O Jardim Sajón foi parte de um projeto urbano empreendido por Augusto II Mocny entre 1713 e 1733, designado o “Eixo sajón”. De estilo barroco, no início, pertenceu ao conjunto do Palácio Sajón, até que em 1727 foi declarado parque público. Na cidade de Varsóvia, foi o primeiro com esta categoria. Um século depois, o jardim foi renovado em estilo inglês, isto é, dando protagonismo às estátuas e aos lagos em contraposição ao estilo anterior, mais próximo aos jardins de canteiros franceses. Depois de ter sofrido bombardeamentos durante a Segunda Guerra Mundial, o espaço perdeu o teatro de madeira do século XIX que se situava ali e parte da colunata que existia num dos extremos. Desta, apenas se conserva uma arcada, que foi colocada na esplanada da praça Pilsudski, onde hoje se encontra o túmulo do soldado desconhecido.

A estas três áreas verdes, Varsóvia soma outros parques projetados pelos Estado como os Campos de Mokotów, numa das zonas onde antigamente se situava o aeroporto; o parque Szczęśliwicki, no qual existe uma montanha-russa; e o Skaryszewski, ao lado do Bairro de Praga. Todos eles fazem parte do pulmão da capital polaca.

Reserva da biosfera polaca

O Parque Nacional de Kampinos está situado a 20 quilómetros a oeste de Varsóvia. É uma reserva florestal protegida que preserva os ecossistemas da Selva de Kampinos e que se estende ao longo do antigo vale do rio Vistula. Entre a sua fauna, destacam-se os linces, alces e a cada vez mais insólita cegonha negra. Três quartos do parque é constituído por bosques, sobretudo de carvalho. Em 2000, a UNESCO considerou este parque Reserva da Biosfera.

Um Jardim no telhado

Desde 2002, a Biblioteca da Universidade de Varsóvia tem um jardim no terraço do edifício. Em mais de um hectare de extensão, este jardim tem mais de 5000 metros quadrados de vegetação e oferece uma vista panorâmica esplendida da cidade. Os seus terrenos dividem as plantas de acordo com as escalas cromáticas das folhas e pétalas. Assim, no Jardim do ouro, predominam as de cor laranja e amarelo; no jardim da prata, os salgueiros de folha prateado; e no jardim carmim, as árvores avermelhadas. É o lugar de descanso dos estudantes e professores.

Top 5 Hotéis

Polónia, Varsóvia e arredores, Varsóvia

Old Town Apartments Warsaw

16 Dezembro 2019, 2 noites, 2 Pessoas, Só Alojamento
Polónia, Varsóvia e arredores, Varsóvia

Golden Tulip Warsaw Center

16 Dezembro 2019, 2 noites, 2 Pessoas, Só Alojamento
Polónia, Varsóvia e arredores, Varsóvia

S6 by Platinum Residence

16 Dezembro 2019, 2 noites, 2 Pessoas, Só Alojamento
Polónia, Varsóvia e arredores, Varsóvia

No.4 Residence

16 Dezembro 2019, 2 noites, 2 Pessoas, Só Alojamento